quarta-feira, 18 de julho de 2012

O INFANTE PORTUGAL E AS SOMBRAS MUTANTES DE JOSÉ MATOS-CRUZ É APRESENTADO AMANHÃ NO CNBDI



No dia 19 de Julho, pelas 19 horas, no Centro Nacional de Banda Desenhada e Imagem será apresentado o livro

O INFANTE PORTUGAL E AS SOMBRAS MUTANTES 
DE JOSÉ DE MATOS-CRUZ 
com a chancela da editora Apenas Livros. 


Colaboram nesta obra os seguintes lustradores: 

Isabel Aboim, Filipe Abranches, Renato Abreu Teotónio Agostinho, João Amaral, Ana Biscaia, Cação Biscaia, Richard Câmara, , João David, Luis Diferr, Fernando Filipe, Sara Franco, José Garcês, Daniel Henriques, Catherine Labey, Daniel Maia, Zé Manel, J. Mascarenhas, Pedro Massano, Baptista Mendes, Fernando Vilhena de Mendonça, Victor Mesquita, Susa Monteiro, Nuno Pereira, Susana Resende, André Ruivo, José Ruy, Eugénio Silva, Augusto Trigo, Maria João Worm, Carlos “Zingaro” 

Na próxima quinta-feira convidamo-lo a tomar café connosco. 


_______________________________________________________

O Infante Portugal é um projecto da autoria de José de Matos-Cruz - investigador nas áreas da banda desenhada e cinema de animação - que agora nos apresenta o último volume de uma trilogia, com argumento seu, e onde participaram um conjunto vasto de ilustradores e desenhadores de BD.

José de Matos-Cruz foi o comissário do Festival CinemAnimação, iniciativa que integrou o Festival Internacional de BD da Amadora entre 1998 e 2001, e foi um dos consultores científicos para definição dos objectivos, conteúdos e valências que estiveram na origem da criação do Centro Nacional de BD e Imagem.

Com vasta obra publicada no domínio do cinema e da BD, José de Matos-Cruz encetou em 2010 a saga de O Infante Portugal com a publicação de três títulos O Infante Portugal e as Tramóias Capitais, O Infante Portugal e a Íntima Capitulação, ambos lançados no 21º AmadoraBD e agora O Infante Portugal e as Sombras Mutantes, todos eles com a chancela da editora Apenas Livros.



O INFANTE PORTUGAL E AS SOMBRAS MUTANTES
Capa e contracapa ilustradas por Daniel Maia


O INFANTE PORTUGAL E AS TRAMÓIAS CAPITAIS (2007 - reeditado em 2010)

Com ilustrações de Isabel Aboim, Filipe Abranches, Renato Abreu, Luís Diferr, José Garcês, António Jorge Gonçalves, Luís Louro, Zé Manel, Pedro Massano, José de Matos-Cruz, José Ruy, Eugénio Silva e Augusto Trigo.


O INFANTE PORTUGAL E A ÍNTIMA CAPITULAÇÂO (2010) 

Com ilustrações de Ana Biscaia, Cação Biscaia, Ricardo Cabral, Richard Câmara, Diniz Conefrey, Fernando Filipe, Sara Franco, Daniel Henriques, Rui Lacas, João Amaral, João Vasco Leal, Daniel Maia, João Mascarenhas, Baptista Mendes, Susa Monteiro, Nuno Pereira, Miguel Rocha, André Ruivo e Carlos "Zíngaro".

Entretanto, e até 26 de Agosto (10h-18h), continuará patente na Fundação D. Luís I  –  Centro Cultural de Cascais (Av. Rei Humberto II de Itália), a mostra colectiva ENTRE VISÕES – O INFANTE PORTUGAL E AS SOMBRAS MUTANTES, a qual encabeça outras manifestações alusivas e expositivas que irão assinalar o âmbito global da trilogia  –  envolvendo, pois, os livros AS TRAMÓIAS CAPITAIS e A ÍNTIMA CAPITULAÇÃO


Imagens da Exposição na Fundação D. Luís – Centro Cultural de Cascais

JOSÉ DE MATOS-CRUZ nasceu em Mortágua (1947) e licenciou-se em Direito pela Universidade de Coimbra (1973). Foi um dos pioneiros na divulgação da banda desenhada em Portugal, começando por editar um dos nossos primeiros fanzines, Copra (1972), e por co-fundar em Coimbra o grupo Boomovimento, que organizou uma das originais manifestações de BD do país, o designado I Encontro de Banda Desenhada Nacional (1973), na Figueira da Foz, além de promover vários eventos que sedimentaram a BD entre nós. Já em Lisboa, esteve na fundação do Clube Português de Banda Desenhada (1976), entre outros com Franklin Ferreira da Silva, e colaborou em diversas publicações estrangeiras (como El Globo, ¡Bang!, Comics Camp/Comics In, Sunday – Espanha, Il Fumetto – Itália, Falatoff – França).

É também editor de livros de poesia e prosa pela sua chancela, Kafre, tendo feito crítica de cinema e de BD em jornais e revistas desde os anos '60; mais tarde, especializou-se com a coluna Quadradinhos no jornal A Capital (1983-2004) e em textos de investigação n'O Mosquito e álbuns das editoras Futura e Eseuve (Espanha), além de fundar e dirigir revistas de BD (Ploc!, Aleph), e colaborar regularmente no célebre Mundo de Aventuras. Mais recentemente, participou nos livros Vasco Granja: Uma Vida ...1000 Imagens (Asa) e Fadas Láureas (Prime Books). Com uma extensa bibliografia, em edições individuais e colectivas, trabalhou na Cinemateca Portuguesa, sendo responsável pela Filmografia Portuguesa. Ainda no campo do audiovisual, foi precursor da áudio-descrição e assessor de produção e de programação na RTP, além de professor convidado na Escola Superior de Teatro e Cinema e docente na Licenciatura de Cinema da Universidade Moderna.

De volta à BD, reviveu a personagem de O Infante Portugal/Rui Ruivo – criada originalmente num conto de Os SobreNaturais, sequela ao livro Os EntreTantos (2003) – em saga com auto-edição por Kafre (2007), expandida e culminante na trilogia pela Apenas Livros. Pelo contributo para a BD portuguesa e percurso de carreira, recebeu o Troféu do Júri do VIII Troféus Central Comics (2011), uma das várias distinções que tem granjeado pela dedicação às artes e às letras.

José de Matos-Cruz com a sua editora, no FIBDA de 2010
Foto de Cristina Amaral em http://joaocamaral.blogspot.pt

_________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page