domingo, 14 de abril de 2013

GAZETA DA BANDA DESENHADA (2) - NA GAZETA DAS CALDAS - A TERTÚLIA BD DE LISBOA




GAZETA DA BANDA DESENHADA (2)
NA GAZETA DAS CALDAS

in Gazeta das Caldas, 12 Abril 2013

A TERTÚLIA BD DE LISBOA

Jorge Machado-Dias
Director do BDjornal

Geraldes Lino, o seu fundador e organizador, define a Tertúlia BD de Lisboa da seguinte maneira: “(...) Trata-se de uma associação informal, visto que funciona sem existência oficializada, não tem estatutos nem corpos gerentes, não há associados nem pagamento de quotas. Por que razão se chama tertúlia? Porque os seus participantes têm uma coisa em comum que os une, o gosto pela Banda Desenhada, e é com a finalidade de falar dela e prestarem homenagens a autores que se deslocam ali de propósito para receberem o galardão em forma de diploma que se reúnem (...)”

Esta característica - a das homenagens - reparte-se por duas vertentes: os Homenageados propriamente ditos, que são não só os autores consagrados, “(...) ou até com escassa obra mas já com suficiente veterania (...)”, mas também cartunistas que fazem bd; editores, directores e outros profissionas de revistas de bd; editores, directores e coordenadores de fanzines; historiadores, investigadores, estudiosos, críticos e divulgadores; ilustradores e legendadores. Tendo sido até hoje homenageadas 194 pessoas. Depois, os Convidados Especiais, gente mais nova que possui ainda escassa obra, mas já com algum sucesso na área, tendo havido até agora 223 Convidados Especiais.

Os Encontros da Tertúlia BD de Lisboa realizam-se sempre na primeira terça-feira de cada mês (calhe nela um feriado ou não), no único restaurante do Parque Mayer ainda “em funções”. Aliás esse restaurante e o Teatro Maria Vitória, são os dois únicos estabelecimentos activos no Parque Mayer, para além das intermináveis obras do Capitólio (futuro teatro Raul Solnado), sendo caso para dizer: todo o Parque Mayer foi desocupado e votado à ruína! Todo? Não! Um grupo de irredutíveis bedéfilos resiste ainda e sempre à ruína invasora!

O primeiro Encontro da TBDL realizou-se em 4 de Junho de 1985 no restaurante O Manel, passando mais tarde para o restaurante Chico Carreira e, em Setembro de 1996, para A Gina, onde se realiza actualmente, sempre no Parque Mayer.

Até 2010, os Encontros da TBDL de Junho (aniversário) e de Natal - este na terceira terça-feira de Dezembro - realizavam-se noutros restaurantes que não o habitual, sendo por isso designados “Encontros Vadios”. Os desse ano, por exemplo, realizaram-se no restaurante Jardim da Luz.

E em que consiste esta Tertúlia? Usando mais uma vez as palavras de Geraldes Lino, “(...) A tertúlia inicia-se às 20 horas e termina sempre três horas e picos mais tarde. Divide-se em três partes: 1) jantar; 2) sorteio de BD; 3) homenagem a um autor consagrado ou veterano e/ou incentivo a um autor mais novo, como convidado especial.

Começa-se pelo jantar (uma opção estratégica, pois não haveria hipótese de conseguir a permanência de tantas pessoas, durante três horas, se não estivessem sentados a uma mesa…). Saliente-se que o restaurante fica totalmente reservado, naquela noite, para os "tertulianos"; e, por causa da tertúlia, abre sempre, mesmo que a primeira terça feira do mês calhe num feriado!

A 2ª parte, bastante animada, compõe-se de um sorteio de peças de banda desenhada, oferecidas pelos próprios participantes, que engloba álbuns, revistas - portuguesas e estrangeiras, actuais e antigas -, fanzines e desenhos originais, incluindo os que são oferecidos pelos Homenageado e Convidado Especial. Este sorteio tem duas finalidades principais: pôr toda a gente a mexer em peças de BD, as mais variadas, o que suscita o desenvolvimento de conversas sobre o assunto, tanto mais que, muitas vezes, a revista antiga que sai a um jovem constitui para ele autêntica surpresa, outras vezes sai ao bedéfilo veterano um fanzine algo desconcertante, em ambos os casos peças que nunca teriam tido oportunidade de conhecer (...)”

Falta acrescentar que Geraldes Lino, que é também o mais activo editor de fanzines de banda desenhada neste país e também o maior coleccionador destas publicações amadoras, costuma editar e distribuir gratuitamente na TBDL o fanzine TBDzine (que vai no nº 173), além das Folhas Volantes - impressas em papel verde - com os recortes de imprensa mais relevantes sobre BD publicados em jornais ou revistas no mês anterior.

Para concluir, damos de novo a palavra, ao mentor e organizador da TBDL: “ (...) Os numerosos bedéfilos que participaram até hoje, ao todo umas largas centenas, não são sempre os mesmos – há quase todos os meses duas ou três pessoas que lá vão pela primeira vez, e há outras que vão de tempos a tempos – mas existe um "núcleo duro", de cerca de vinte, de quase impecável assiduidade, além da presença praticamente sem falhas do fundador da tertúlia e seu organizador mensal. Esse conjunto não fixo de bedéfilos abarca todas as áreas da BD: autores (desenhadores e argumentistas), editores, estudiosos, críticos, divulgadores, jornalistas, coleccionadores, fanzinistas, e "last but not the least", simples leitores (...)”

E, acrescentamos nós, muitos dos jovens que hoje frequentam a Tertúlia BD de Lisboa, não eram ainda nascidos quando ela se iniciou.

Tertúlia BDzine nº 173, distribuído no 342º Encontro (Especial do Fim do Mundo), de 21 de Dezembro de 2012. Autor: Álvaro. 


Prancha do Comic Jam do último encontro da TBDL. Uma folha A4 dividida em 6 vinhetas. O Homenageado ou Convidado Especial desenha a primeira vinheta. Depois a folha é passada a outros autores presentes e, geralmente, saem coisa engraçadas. Autores desta prancha (de cima para baixo e da esquerda para a direita): 1. Nuno Amado - o blogger "Convidado Especial”; 2. Osvaldo Medina; 3. Miguel Falcato; 4. Álvaro; 5. Rui Batalha.

______________________________________________________

 
Locations of visitors to this page