segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

Gazeta da BD #88 – IV Comic Con Portugal 2017

Gazeta da BD #88 - na Gazeta das Caldas - 26 Janeiro 2018


IV Comic Con Portugal 2017
Mais de 100 mil visitantes num evento de BD/Comics 
em Portugal é obra!!!

Antes de me debruçar sobre o ano editorial de BD de 2017, como tinha previsto, tenho que deixar aqui um apontamento sobre o IV Comic Con Portugal, que decorreu em Dezembro passado, como sempre nas instalações da Exponor de Matosinhos. Recordo que já escrevi aqui sobre a 2ª edição deste evento, em Dezembro de 2015.

A Comic Con Portugal tem vindo a aumentar o número de visitantes, desde os cerca de 30 mil na 1ª edição em 2014, até atingir os 100.748 em 2017 – um salto gigantesco em quatro anos. Daí a razão de ser deste texto.

Escrevi em 2015, que as Convenções de Comics juntam num festival não só as criações dos comics (bandas desenhadas) impressos, como os seus resultados em filmes e outros média, em que os americanos são profícuos, ou seja, todos os produtos comerciais que possam ser daí derivados: jogos de computador, séries televisivas, merchandising, brinquedos, concursos e torneios de jogos, divulgação e lançamento de novos filmes e séries de televisão, etc... Daí que se designem como Convenções de Cultura Pop (Cultura Popular) e abarquem tudo o que diz respeito a esse tipo de publicações, filmes ou séries de TV, sendo que a característica mais conhecida, é a denominada Cosplay (Costume Play, ou jogo de vestimentas), uma invenção americana dos anos de 1930, depois fortemente implementada no Japão e que leva os fãs a vestirem-se de acordo com os seus heróis preferidos.

Claro que esta é a fonte fantasista e colorida do público que frequenta estes eventos, ou seja, os fãs fantasiados a rigor como os seus heróis de referência, dos filmes ou séries de TV, para se exibirem depois nos concursos de cosplay.

Embora se tenham reunido os habituais editores e livreiros de BD nesta Convenção, distribuídos por diversos stands, não me parece que o objectivo dos visitantes seja o de comprar livros ou revistas (os comic books), apesar de quase toda a temática destes eventos resultar de adaptações dos comics para cinema, ou vice-versa, em que filmes originais tenham sido convetidos, por sua vez, em BD.

Mas a Música voltou, nesta edição, à Comic Con Portugal com o concerto “Hollywood in Concert” proporcionado pelo Canal Hollywood. A magia do cinema chegou a todos os visitantes pelas grandiosas bandas sonoras tocadas pela Lisbon Film Orchestra dirigida pelo maestro Nuno de Sá, que transportou cada espectador para mundos imaginários provocando as mais variadas emoções. As experiências de realidade virtual da área Gaming e os torneios e desafios de eSports como a Final da Liga Moche LPLOL e a Final do Moche TPGO, concentraram muitas das atenções, assim como a presença do Batmobile - carro original e oficial do Batman no filme “Liga da Justiça”.

Um dos locais mais visitados do evento foi o icónico “Espaço Oficial Star Wars” que recebeu a visita de milhares de pessoas durante os quatro dias para conhecerem a nave “T-65 X-WING” e o “Imperial Combat Assault Tank” e viverem todo o universo “Star Wars”.

A presença, como convidados, de actores de cinema e TV, intérpretes dos filmes e séries de culto, é também um dos grandes motivos de interesse do evento.

No entanto, segundo parece, o Camicon Portugal vai mudar-se para Lisboa no próximo ano. A notícia foi avançada pela organização ainda em Setembro.

“Tem a ver com a maturidade ganha pela própria organização ao fazer o evento e com os fatores estruturais. Ao realizarmos este evento em Lisboa criamos uma ponte mais rápida para chegar cá, a espanhóis e outros europeus que queiram vir fazer parte desta festa”, dizem os organizadores. Além disso, salientam, a capital tem “maior oferta hoteleira, maior capacidade de distribuição e interação”.

E esta não será a única mudança. A Comic Con Portugal também deverá começar mais cedo, em Setembro – recorde-se que a edição deste ano foi realizada em Dezembro. Além disso, não deverá ficar restrita a um único espaço como tem acontecido até agora. Pelo contrário, a ideia é dividir o evento em pelo menos cinco locais diferentes.

“Foi a partir destas premissas que surgiu o modelo da Comic Con em Lisboa, depois de vários brainstorms e de conversas com o município da capital.”

Mas isso não significa que o evento se mude de vez para Lisboa. A edição de 2018 vai servir de teste para ver como é que tudo corre, mas ninguém pondera fechar o círculo numa única cidade.

“Pode-se encontrar uma versão mista e dividir o evento por Lisboa e Porto. Podemos até ir para outro sítio. Mas sabemos que Lisboa tudo fará para nos seduzir e cativar.”

Enquanto isto e a ter em atenção, o Festival Internacional de Banda Desenhada d’Angoulême (que ultrapassou já os 300 mil visitantes no ano passado), está já a preparar a sua 45ª edição, que decorrerá entre 25 e 28 de Janeiro.














Clicar em cima da imagem para ouvir e ver a performance da Lisbon Film Orchestra no tema da  
Marcha Imperial de Star Wars



Filipe Melo e Juan Cavia no IV ComicCon Portugal, para o lançamento do livro Comer-Beber...

_______________________________________________________________

 
Locations of visitors to this page